Quarta Feira, 27 Outubro 2021

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Terrorismo Israelense

5 de abril é o Dia da Criança Palestina, muitas delas torturadas desde 2000

85% das crianças palestinas presas foram submetidos a uma ou mais formas de tortura ou abuso físico e psicológico, 68% delas foram levadas algemadas e vendadas e 57% foram retiradas de suas casas à meia-noite.

Organizações humanitárias e de prisioneiros palestinos relataram que as autoridades de ocupação israelenses prenderam mais de 16 mil palestinos menores de 18 anos desde 2000, e que mais de 85% deles foram submetidos a uma ou mais formas de tortura ou abuso físico e psicológico nas mãos das forças de ocupação israelenses e investigadores. 68% das crianças detidas são levadas com os olhos vendados e de mãos amarradas e 57% das crianças foram violentamente retiradas de suas casas à meia-noite.

 

Em um relatório por ocasião do Dia da Criança Palestina, que é comemorado a cada 5 de abril de cada ano, a Comissão Palestina para Assuntos de Prisioneiros indicou que 140 menores ainda estão nas prisões da ocupação israelense, distribuídos entre as prisões de Ofer e Majdou, além dos centros de detenção e investigação militar.

 

Em seu relatório, a comissão observou que a prisão de crianças palestinas pelas forças ocupantes se tornou um alvo sistemático para atacar o futuro das crianças palestinas, pois isso deixa sérios efeitos psicológicos, sociais e de saúde sobre elas, afetando seriamente seus desenvolvimentos e seu futuro. , e que o objetivo da ocupação israelense é destruir a sociedade palestina e a família, prendendo crianças e deixando cicatrizes e feridas profundas e marcas indeléveis nelas.

 

A comissão revelou os métodos brutais a que as crianças são expostas e que violam claramente a Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança, a Convenção contra a Tortura, as normas internacionais e humanitárias para a proteção de menores privados de liberdade e a Quarta Convenção de Genebra. Israel nunca respeitou normas, convenções ou resoluções de legalidade internacional e o mundo simplesmente observa as atrocidades cometidas e de vez em quando emite sentenças inúteis que apenas dão luz verde para a continuação dos crimes.

 

Entre os métodos de tortura documentados pelos advogados da comissão durante suas visitas a prisioneiros juvenis estão espancamentos severos e brutais, privação de sono, privação de comida e água, privação de ir ao banheiro, isolamento prolongado, tortura conhecida como fantasmas em várias formas - tortura fantasma consiste de manter as crianças com os braços levantados e amarrados por longas horas - espancamentos, insultos, ameaças de estupro ou agressão às suas famílias, não permitir que os pais comparecessem à investigação, tirando roupas, apagando cigarros no corpo e muitas outras práticas. Soma-se a isso ameaças de prisão de um parente, negação de tratamento médico, imposição de prisão domiciliar, deportação de crianças de Jerusalém ocupada para outras áreas da Cisjordânia, emissão de mandados de prisão administrativa e outros métodos que violam os padrões humanitários internacionais.

 

Fonte: PalestinaLibre.org

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2021 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.