Segunda Feira, 03 Agosto 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Terrorismo Israelense

A ocupação aumentou as violações na Cisjordânia e Jerusalém durante janeiro

De acordo com um relatório do departamento de mídia do Hamas na Cisjordânia; em janeiro de 2020, houve uma escalada das violações pelas autoridades de ocupação israelense que desencadearam as mãos de seus soldados e colonos para santificar locais sagrados, especialmente a abençoada Mesquita Al-Aqsa, e agrediram cidadãos palestinos de todas as formas. A escalada que se seguiu e a escalada dos ataques israelenses.

De acordo com um relatório emitido pelo "Departamento de Mídia do Hamas na Cisjordânia" sobre violações da ocupação israelense na Cisjordânia e Jerusalém durante janeiro de 2020, as forças de ocupação suprimiram manifestações populares pacíficas além do que chamam o acordo do século. Não há, portanto, como não condenar a agressão israelense. Os soldados da ocupação abriram cartuchos de fogo e gás nos manifestantes e nas casas.

O relatório monitorou a repressão das forças de ocupação de 90 manifestações, enquanto o número de ataques das forças de ocupação e seus colonos contra os cidadãos alcançou 176 ataques.

E em Jerusalém ocupada, as forças de ocupação aumentaram suas restrições contra os fiéis na abençoada Mesquita de Al-Aqsa e os atacaram, especialmente os participantes da Campanha da Grande Aurora, e os que estavam em Al-Aqsa e na Capela da Misericórdia.

Os colonos continuaram atacando Al-Aqsa e profanando seus pátios, sob a proteção das forças de ocupação, e o número de colonos que invadiram a mesquita durante 17 dias alcançou 1656 colonos.

As forças de ocupação dobraram durante o período do relatório – janeiro de 2020 – a deportação de cidadãos de Jerusalém e da Mesquita Al-Aqsa, e numeraram 47 decisões de deportação, em comparação com 24 decisões emitidas no mês de dezembro de 2019.

Os ataques das forças de ocupação também incluíram as várias áreas da Cisjordânia e ocuparam Jerusalém, e as áreas de Jerusalém, Hebron e Ramallah foram as mais expostas a violações por (482, 319 e 221), respectivamente.

 

Fonte: The Palestinian Information Center

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.