Quarta Feira, 12 Agosto 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Povo Palestino

A tradição palestina através do bordado de Na'ima

Os bordados deixaram de fazer parte do mundo rural e se tornaram um símbolo para evidenciar um sentido ao resto do mundo. Tudo tem um significado no bordado palestino, que evoluiu desde o início da ocupação israelense.

“Cuando comencé a trabajar en los bordados, quería imaginarme aquellas telas campesinas palestinas tradicionales en los accesorios de la vida moderna”, nos cuenta Na’ima Ziyad, una emprendedora refugiada de Palestina en Cisjordania entre las telas de su boutique Heritage Touch en Ramallah.  

Los bordados han pasado de formar parte del mundo rural a ser un todo un símbolo a mostrar al resto del mundo. Todo tiene un sentido dentro del bordado palestino, que fue evolucionando desde el inicio de la ocupación israelí.

Antes de 1948, los vestidos tradicionales eran utilizados casi únicamente por las comunidades campesinas, ya que en las ciudades había influencia de otras telas extranjeras. Cada color, diseño y motivo tiene un significado en cada vestido. Cada bordado tiene una lectura con la que se puede leer de donde se procede, el estatus social o si se tiene hijos o no. 

Todo eso se diluyó tras 1948 pero a día de hoy se va recuperando gracias a proyectos como los de Na’ima Ziyad. Ahora, entre las paredes de su tienda se encuentra el arte que funciona como puente entre el pasado y el futuro, y detrás se esconde el deseo de ganarse la vida y también el de preservar el legado del pueblo palestino.  

 

Na'ima é refugiada da Palestina em Ramallah. Quinze anos atrás, se viu subitamente com apenas três filhas e quatro filhos após a morte do marido. Trabalhou duro para começar a ganhar uma renda estável com bordados e artesanato tradicional. Naquela época, não havia as redes sociais para divulgar seu produto. Portanto, o fazia de boca em boca, feitas por meio de familiares e amigos.

Não foi fácil. Começou a administrar sua pequena empresa em sua casa. Gradualmente e pacientemente, conquistou clientes e expandiu os negócios aplicando desenhos tradicionais em ornamentos, joias e até fronhas.

“Esse estilo ainda não era popular quando comecei, mas meus produtos se tornaram muito famosos entre as mulheres. Eu queria expandir meu trabalho, então precisava de dinheiro para comprar os acessórios simples que queria decorar ”, diz Naima, relembrando sua estreia há mais de uma década.

Tudo começou a se fortalecer em 2013. Na'ima recebeu um empréstimo do Programa de Microfinanças da UNRWA, que lhe permitiu expandir seus negócios e comprar os materiais necessários para sua nova linha de produtos, que logo se esgotou.

“Esse ano foi quando minha empresa realmente decolou. Os produtos também começaram a atrair mulheres palestinas mais jovens e visitantes estrangeiros ”, diz.

 

Com o aumento da demanda por roupas bordadas tradicionais, Na'ima solicitou quatro empréstimos adicionais com um valor acumulado de US $ 5.000 desde que pagou seu primeiro empréstimo. Graças a esse projeto, começou a empregar mulheres palestinas, principalmente refugiadas: 30 da Cisjordânia e 30 da Faixa de Gaza, contribuindo assim para o treinamento em técnicas de costura e bordado e para o empoderamento por meio da independência econômica.

Os clientes reivindicaram mais de Na'ima. Conseguiu abrir sua loja no centro de Ramallah, Heritage Touch. O melhor é que o bordado inovador de Na'ima viajou além do território palestino ocupado, chegando a exposições árabes e internacionais, mesmo na Índia. Apesar dos obstáculos e da falta de liberdade de movimento, a tradição palestina de bordados conseguiu atravessar fronteiras.

 

Fonte: Comitê Espanhol da UNRWA

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.