Domingo, 14 Agosto 2022

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Terrorismo Israelense

Khalil Awawdah seguirá preso sem acusação formal

Apesar de 111 dias de greve de fome, Khalil Awawdah, pai de quatro filhos, seguirá detido sem acusação ou julgamento por mais quatro meses

Khalil Awawdah, pai de quatro filhos, seguirá preso sem acusação ou julgamento por mais quatro meses. Esta é a devastadora notícia que trouxe o portal Eye on Palestine, confirmada pela Palestinian News and Information Agency. A prorrogação da pena se deu apenas dois dias depois da confirmação trazida pelo Middle East Monitor de que Khalil havia concordado em pôr fim a uma greve de fome que durou 111 dias. 

O fim da greve de fome teria sido motivada por uma conversa com autoridades israelenses no dia anterior, que teriam estabelecido um acordo verbal para a sua soltura. A informação dada ao Palestinian Information Center pela esposa de Khalil era de que ele seria liberado no dia 26 de junho, data de expiração de sua detenção administrativa, e que a ocupação israelense não renovaria a detenção de seu marido. Esta versão não foi corroborada pela Alta Comissão para Assuntos de Prisioneiros da Palestina, segundo a qual as autoridades israelenses não teriam se comprometido com uma data específica.

A comunidade internacional acompanhou consternada a deterioração da saúde de Awawdah, que nos últimos dias de sua greve sentia fortes dores no corpo e vomitava sangue.

Khalil Awawdah é mais um palestino vítima da política de detenções administrativas perpetrada pela ocupação israelense. Por meio deste dispositivo, a entidade que hoje ocupa a Palestina garante a si mesma o direito de prender palestinos sem provas, mandados ou mesmo acusações formais por períodos prorrogáveis de até seis meses.

 

A brutalidade da ocupação ganha cores trágicas em mais esse episódio de crueldade e arbitrariedade, que faz “O Processo” de Franz Kafka parecer literatura infantil. Além de Khalil, a Palestinian Prisoner Society estima que cerca de 4700 palestinos estejam hoje sob custódia de Israel, dos quais 600 seguem presos sem julgamento ou acusação.

Enquanto isso, a esposa e os filhos de Khalil seguem em Idna, pequena vila ao sul de Ramallah, sem saber quando ou se o verão de novo. 

 

Com informações de Eye on Palestine, Palestinian News and Information Agency, Middle East Monitor, Palestinian Information Center, The Siasat Daily e Palestinian Prisoner Society.

https://english.wafa.ps/Pages/Details/129804

  • Gravatar - Post by
    postado por: Ibraspal
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2022 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.