Sexta Feira, 07 Agosto 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Política Agressiva

Ahmad Manasrah um prisioneiro que foi proibido pela ocupação de alcançar os alunos aprovados do ensino médio

Em 11 de julho, às listas de ex-alunos aprovados do ensino médio nos territórios palestinos estavam sem o nome do prisioneiro palestino Ahmed Manasrah, que foi privado de seu direito à educação pelas prisões de ocupação.

A ocupação não apenas prendeu a criança, como também causou sofrimento à sua família depois que se lembraram dos filhos de sua geração que fizeram o exame do ensino médio e comemoraram com suas famílias.

O prisioneiro Manasrah nasceu em 22/1/2002 na cidade de Beit Hanina, perto de Jerusalém ocupada. Foi condenado a viver sua infância como testemunha dos crimes da ocupação e dos colonos.

As forças de ocupação prenderam a criança, Manasra, em 12 de outubro de 2015, depois que ele foi acusado de tentar realizar uma operação de punhalada na cidade ocupada de Jerusalém, acompanhado por seu primo Hassan, que morreu na época.

Ele foi submetido a um ataque brutal por colonos que o espancaram e pisotearam antes de ser preso.

Todos pensaram, devido à dificuldade de Jarrah Ahmed, que ele havia sido morto, quando foi levado para o hospital entre a vida e a morte. As câmeras documentaram a cena. 

Uma vez que ele se recuperou de suas feridas de uma maneira simples e conseguiu se levantar, foi sujeito a intensa investigação pelas forças de ocupação, que usaram métodos brutais de investigação com ele.

 

Não me lembro 

Durante o interrogatório, vazou uma gravação em vídeo perguntando sobre o curso da acusação e o sujeitou a gritos e ameaças aos investigadores, até que ele pronunciou palavras cheias de medo.

As autoridades de ocupação emitiram uma sentença de 12 anos de prisão contra ele e impuseram uma multa de US $ 46.000. Após o apelo do advogado, sua sentença foi reduzida para nove anos e meio de prisão. 

Segundo o Movimento Internacional de Defesa da Criança, a ocupação prendeu 8.500 crianças palestinas entre 2000 e 2015, a maioria sujeita a tortura psicológica e física.

 

Fonte: Omamah.net

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.