Terça Feira, 29 Setembro 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Documentos internacionais e decisões legais

Al-Hayya pede que os parlamentos mundiais e líderes políticos apoiem a Palestina

Um membro do bureau político do Hamas, Khalil al-Hayya, pediu que os parlamentos e líderes políticos mundiais a apoiarem a causa Palestina na fase dos planos de anexação ilegal da ocupação israelense.

Al-Hayya convocou, durante entrevista a jornalistas brasileiros via Internet, na terça-feira, os esforços conjuntos para expor os crimes da ocupação contra o povo palestino.

Ele disse: Nosso apelo a todo o mundo é que sua responsabilidade política e humanitária seja apoiar nosso povo, da mesma forma que você se posicionou contra suas ocupações ilegais ao longo dos tempos.

Al-Hayya alertou para as pessoas ao redor do mundo para a necessidade de expor a falsidade e manipulação da política dos EUA que está tentando acabar com a UNRWA para acabar com a questão da Palestina e os refugiados.

Ele expressou o orgulho do Hamas em suas relações com todos os irmãos e países que apóiam a Palestina, indicando que o movimento está tentando estender suas relações com os povos e partidos, e busca boas relações com todos os países.

 

Normalização

Al-Hayya renovou a posição do movimento, rejeitando a normalização e estabelecendo relações com a ocupação sionista israelense, apelando a todos os países que mantêm relações com o estado sionista para cortá-la, e não usar a causa Palestina como uma ponte para seus interesses.

Al-Hayya condenou a normalização dos Emirados Árabes Unidos com a ocupação sionista israelense, alertando qualquer país para não seguir o exemplo dos Emirados, pois fortalece a ocupação sionista às custas da vida do povo palestino.

Ele explicou que a normalização com a ocupação é uma facada nas costas do povo palestino, que impede a ação política e enfraquece a simpatia oficial pela causa Palestina.

E também observou que a política estadunidense americana e sionista que tenta impor fatos na base não durará  por muito tempo, nem resistirá à capacidade dos palestinos de exigir seus direitos da terra e de liberdade.

E acrescentou: Temos a certeza de que a roda da história girará a nosso favor porque temos o direito, que a ocupação ilegal israelense está chegando perto do fim, e que os Estados Unidos que só semeia o ódio no mundo, também só colherá o ódio e a raiva dos povos.

Al-Hayya indicou que a ocupação é delirante, se pensa que fará parte da região através da normalização de acordo com o acordo Trump, e que não ganhará sua estabilidade dos países vizinhos, e não se estabilizará enquanto estiverem ocupando  ilegalmente, e continuar com as invasões da nossa terra.

Ele explicou que o estabelecimento de um Estado Palestino nas fronteiras do 67º se tornou indisponível, e não há nenhuma terra na qual esse estado possa ser estabelecido, então o plano de anexação ilegal não deixará nada de terra da Palestina.

 

Trabalho em conjunto

Um membro do partido político do Hamas destacou que o movimento está determinado a usar todos os meios para enfrentar a ocupação até que seja expulso de nossas terras, como fizeram todos os povos que foram conquistados pelo colonialismo, inclusive o povo brasileiro.

Al-Hayya indicou que o Hamas acredita no trabalho conjunto com todas as forças e partidos palestinos, indicando que este é um princípio genuíno que deve ser lançado para alcançar todos os nossos objetivos nacionais.

Ele acrescentou: Continuaremos enfrentando a ocupação juntos, e enfrentando a política de anexação e a política de normalização sem desviar dos problemas que o povo palestino enfrenta, com a hostilidade da ocupação.

Al-Hayya confirmou as excelentes relações que unem o Hamas a todos os partidos políticos e instituições comunitárias, e que o vincula ao Fatah, um bom relacionamento, especialmente após a decisão de anexação israelense.

Ele disse: Não temos outra alternativa senão trabalharmos juntos para enfrentar à  ocupação ilegal sionista israelense, e a ação contra a ocupação só será benéfica em um confronto abrangente e conjunto.

Ele acrescentou: Devemos concordar com uma visão Palestina abrangente para enfrentar a ocupação, pois é o caminho mais curto para alcançar os direitos do povo palestino.

 

Bloqueio de Gaza

Al-Hayya indicou que a ocupação israelense, em sua agressão contra a Faixa de Gaza, visava isolar o povo palestino da opção de resistência, mas a resistência não cedeu e nosso povo continuou a se unir em torno dela.

Ele ressaltou que a ocupação continua seu cerco à Faixa de Gaza após o fracasso dos objetivos pelos quais a guerra foi travada, lembrando que a resistência impôs a ela as equações de engajamento com todas as ferramentas que possui, e é capaz de contê-la.

 

Fonte: Site oficial do movimento islâmico Hamas

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.