Segunda Feira, 19 Abril 2021

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Terrorismo Israelense

As autoridades de ocupação israelense fecham investigação sobre criança que perdeu o olho em tiroteio israelense

As autoridades de ocupação israelense encerraram na quinta-feira o processo de investigação do tiroteio contra a criança Malik Issa, da cidade de Al-Issawiya, em Jerusalém, em fevereiro passado, causando a perda de seu olho.

Testemunhas do crime confirmaram que a polícia israelense disparou contra a criança Issa sem choques ou pedras atiradas antes, ao contrário da documentação publicada pelas autoridades de ocupação israelense na época.

 

O policial israelense alegou que atirou e atingiu a parede para recarregar sua arma.

 

De acordo com as instruções da polícia, é proibido disparar balas de esponja contra crianças, e que elas deveriam ser disparadas apenas na parte inferior do corpo de adultos.

 

Em 23 de fevereiro, os médicos removeram o olho de Issa. A mãe de Issa, Sawsan, disse que os médicos tiveram que remover o olho de seu filho após várias tentativas de tratamento sem sucesso.

 

Ela ressaltou que o policial israelense atirou deliberadamente em seu filho e o atingiu diretamente no olho enquanto ele descia do ônibus escolar em frente à sua casa, confirmando que não houve confrontos naquela área quando ele foi atingido.

 

“Não houve confrontos. Não havia justificativa para atirar em Malek. O que aconteceu espelha o ódio dos soldados israelenses e o desprezo pela vida dos palestinos, inclusive das crianças ”, acrescentou.

 

O pai de Issa disse em um vídeo publicado pelo Wadi Hilweh Information Center: “O ferimento de Malik foi fatal. Ele escapou da morte, mas perdeu a visão do olho esquerdo. Ele foi curado de sua lesão cerebral, mas nunca verá novamente em seu olho esquerdo, mesmo que não seja removido porque está sangrando internamente. ”

 

Fonte: The Palestinian Information Center

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2021 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.