Domingo, 29 Novembro 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Política Agressiva

As forças de ocupação demoliram 33 estruturas de propriedade de palestinos nas últimas duas semanas: OCHA

Durante as últimas duas semanas, 33 prédios, entre casas e comércio de propriedade de palestinos foram demolidas ou apreendidas pelas autoridades de ocupação sionista israelenses por falta de licenças de construção emitidas por Israel, deslocando 98 palestinos, mais da metade dos quais eram crianças, e afetando cerca de 100 pessoas, disse o UN-OCHA em seu Relatório Quinzenal de Proteção de Civis.

O UN-OCHA disse que a maioria das demolições e deslocamentos foram registrados na Área C, com o maior número de deslocamentos (45 pessoas) registrados em dois incidentes na comunidade beduína de Wadi As Seeq perto de Ramallah. Além disso, 12 pessoas foram deslocadas após a demolição de cinco estruturas na comunidade pastoril de Jinba, perto de Hebron, localizada em uma área designada como "zona de tiro" para o treinamento militar israelense.

Em Ras at Tin, outra comunidade pastoril localizada em uma "zona de tiro" na área de Ramallah, partes de uma escola financiada por doações, que estava em construção, juntamente com equipamentos e materiais de construção, foram apreendidos.

Além disso, quatro demolições em Jerusalém Oriental resultaram no deslocamento de 39 pessoas. Em três desses incidentes, as demolições foram realizadas pelos proprietários, que foram obrigados a fazê-lo para evitar taxas adicionais e multas.

Enquanto isso, as forças de ocupação israelenses conduziram 152 operações de busca e prisão em toda a Cisjordânia ocupada, fazendo 117 palestinos de presos políticos. Na noite de 7 de setembro, uma operação em grande escala ocorreu em toda a governadoria de Hebron, com pelo menos 30 palestinos sendo presos. Outra grande operação foi realizada em 26 de agosto em vários bairros de Jerusalém Oriental simultaneamente, na qual dez pessoas foram presas, supostamente por trabalharem para a Autoridade Palestina em Jerusalém Oriental, em violação à lei israelense. Continuaram as atividades regulares de policiamento e as tensões relacionadas no bairro Al ‘Isawiya, em Jerusalém Oriental; em um incidente, um jornalista foi preso e seu equipamento foi confiscado.

Durante o mesmo período, o UN-OCHA disse que dois palestinos ficaram feridos e propriedades dos palestinos foram vandalizadas em incidentes relacionados a colonos israelenses. Palestinos de Kafr Malik, perto de Ramallah, entraram em confronto com colonos israelenses, quando estes tentaram estabelecer um novo posto avançado nas terras da aldeia Palestina. As forças de ocupação israelenses que intervieram no incidente dispararam com munição real e feriram um palestino.

Em outro incidente, uma mulher palestina foi apedrejada e ferida enquanto viajava na Estrada 60, na governadoria de Nablus, enquanto mais três carros foram danificados por pedras.

Um pastor da aldeia de At Tuwani, ao sul de Hebron, relatou que um colono israelense  havia colidido com suas ovelhas, matando dez e ferindo cinco.

Em três incidentes separados, os colonos vandalizaram quatro veículos em Asira al Qibliya e Huwwara, ambos na governadoria de Nablus, onde espalharam grafites nas paredes das casas, e na estrada 60 na governadoria de Hebron.

Além disso, uma escola que conduz a um jardim de infância na área H2 de Hebron foi danificada por colonos israelenses.

 

Fonte: Agência de notícias Wafa

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.