Quarta Feira, 27 Outubro 2021

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Documentos internacionais e decisões legais

Chamados inúteis: França, Reino Unido, Alemanha, Espanha e Itália pedem a Israel que pare de construir novos assentamentos em territórios palestinos ocupados

A ocupação israelense das áreas entre Jerusalém Oriental e Belém prejudicará ainda mais as perspectivas de um Estado palestino viável, alertam países europeus. Chamadas desses países são absolutamente inúteis, pois os israelenses sempre ignoraram tais pedidos. Eles sabem disso, mas por cinismo e cumplicidade não ousam tomar medidas concretas para impedir os abusos.

Tel Aviv deve cessar sua política de expansão de assentamentos em áreas palestinas, diz um comunicado conjunto de porta-vozes dos ministérios das Relações Exteriores da França, Reino Unido, Alemanha, Espanha e Itália divulgado nesta quinta-feira.

 

"Instamos o Governo de Israel a reverter sua decisão de pressionar pela construção de 540 unidades de assentamento na área de Har Homa Leste da Cisjordânia ocupada, e a encerrar sua política de expansão de assentamentos nos Territórios Palestinos Ocupados. Os assentamentos são ilegais sob a lei internacional e ameaçam as perspectivas de uma resolução pacífica do conflito israelense-palestino ", disse o texto.

 

“Se implementada, a decisão de promover assentamentos em Har Homa, entre Jerusalém Oriental e Belém, prejudicará ainda mais as perspectivas de um estado palestino viável, com Jerusalém como capital tanto de Israel quanto do estado palestino”, alertam os cinco países europeus, que indicam que a política israelense atual "mina os esforços para reconstruir a confiança entre as partes". Ao mesmo tempo, pedem a Israel e à Palestina que se abstenham de qualquer ação unilateral e retomam um diálogo crível e significativo".

 

No final de fevereiro de 2020, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu anunciou planos para construir moradias no bairro de Har Homa, em Jerusalém Oriental ocupada, e em janeiro deste ano emitiu uma ordem aumentando os planos de construção de centenas de casas de colonos na Cisjordânia. Assim, Yair Lapid, o líder do partido israelense de oposição Yesh Atid, chamou isso de "uma medida irresponsável" que levaria a "um confronto desnecessário" com o governo Biden nos Estados Unidos.

 

Mais de 440.000 israelenses vivem em assentamentos em meio a três milhões de palestinos, que veem a política de construção como um obstáculo crescente à criação de seu próprio estado na Cisjordânia ocupada e na Faixa de Gaza. A ONU condenou a restrição de assentamentos como ilegal em várias resoluções.

 

Fonte: https://actualidad.rt.com

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2021 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.