Sexta Feira, 21 Junho 2024

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > História e Geografia

Dia internacional da Solidariedade com o Povo Palestino

As Nações Unidas marcam quarta-feira o Dia Internacional da Solidariedade com o Povo Palestino, em 29 de novembro de cada ano, dia em que a resolução da partição foi aprovada em 1947.

Neste dia em 1947, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou a Resolução 181, mais tarde conhecida como Plano de Partição, que estipulava que um "Estado judeu" e um "Estado Árabe Palestino" seriam estabelecidos na Palestina, com Jerusalém sujeita a um pedido internacional especial. Que o texto da resolução forneceu para o seu estabelecimento, apenas o Estado judeu, Israel, surgiu, enquanto o Estado palestino permaneceu uma carta morta por várias décadas.

 

Em resposta a um convite das Nações Unidas, os governos e a sociedade civil realizam anualmente várias atividades para comemorar o Dia Internacional da Solidariedade com o Povo Palestino e emitir mensagens especiais em solidariedade com o povo palestino, organizar e realizar reuniões, e distribuir publicações e materiais de informação sobre o assunto e direitos palestinos. Na sede das Nações Unidas em Nova York, o Comitê para o exercício dos direitos inalienáveis do Povo palestino realiza uma sessão especial anual para comemorar o Dia. Outras atividades organizadas em Nova York no contexto do Dia incluem filmes sobre a causa palestina e uma exposição ou evento cultural palestino organizado pela Missão Palestina Para as Nações Unidas.

 

O Dia Internacional da Solidariedade com o Povo Palestino é uma oportunidade e uma ocasião para lembrar o mundo e suas forças da realidade da tragédia palestina e a injustiça infligida ao povo da Palestina como resultado da resolução da partição. Esse povo se tornou um grupo de refugiados espalhados por todo o mundo. Hoje, A questão da Palestina ainda não foi resolvida apesar de todos os esforços, empreendimentos, iniciativas, negociações, visitas e passeios exploratórios no Oriente Médio realizados por centenas de funcionários e delegações de países estrangeiros. Além disso, o povo palestino, com mais de oito milhões, Obtido após os direitos da inalienável na forma estabelecida pela Assembléia Geral, o direito à autodeterminação sem interferência externa, o direito à independência nacional e soberania, e o direito dos refugiados palestinos a voltar para suas casas e propriedades de onde foram expulsos pela força e do terrorismo.

 

O estado judeu expandiu e ocupou 77% da terra da Palestina, incluindo a maior parte de Jerusalém, Na guerra de 1967, Israel ocupou a Faixa de Gaza e a Cisjordânia, incluindo Jerusalém Oriental, que Israel anexou mais tarde, e ocupou o Sina egípcio e as colinas de Golã sírio. Essa guerra resultou em uma segunda migração para os palestinos, incluindo mais de meio milhão de palestinos.

 

Houve muitas negociações árabe-israelenses em Madri, Genebra, Oslo, Washington, Camp David e muito mais. Mas eles mostraram um fato: Israel não quer paz real, e tudo o que quer e planeja são negociações para negociações e tempo para judaizar mais terras palestinas na Cisjordânia. A Cisjordânia, a implantação de assentamentos e a imposição de um fato consumado que abre caminho à chamada solução de dois estados e torna impossível que um Estado palestino exista junto a Israel.

 

Apesar da realização de acordos provisórios entre Israel e a autoridade autônoma palestina na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, as autoridades de ocupação atingiram esses acordos e levaram a cabo muitos ataques brutais contra cidades palestinas, aldeias e campos na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, o que resultou em milhares de mártires e destruição maciça de edifícios Habitação e infraestrutura.

 

No Dia Internacional da Solidariedade com o Povo Palestino, é apropriado notar que a resolução da questão dos refugiados palestinos com base no direito de retorno é a base para qualquer solução política do conflito árabe-israelense. A comemoração também afirma que a causa palestina permanecerá apesar da adversidade. Retornar e construir seu estado independente em sua terra não estará sujeito a receita, não importa quanto tempo.

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2024 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.