Sábado, 08 Agosto 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Documentos internacionais e decisões legais

Erdogan critica plano do “acordo do século” dos EUA

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, criticou o “acordo do século” proposto pelos EUA, dizendo que os territórios palestinos sob ocupação israelense se tornaram um dos lugares do mundo onde “a injustiça mais prevalece”, durante seu discurso na 74ª Assembléia Geral das Nações Unidas em Nova York, em 24 de setembro, conforme relata a Agência Anadolu.

“Se as imagens de uma mulher palestina inocente que foi assassinada hediondamente pelas forças de segurança israelenses nas ruas apenas alguns dias atrás não podem despertar a consciência, então estamos em um ponto em que as palavras falham”, disse ele.

A Turquia tem “uma posição clara” sobre o assunto. “O estabelecimento imediato de um estado palestino independente e homogêneo com base nas fronteiras de 1967 com Jerusalém Oriental como sua capital é a solução”, disse ele, ao instar a comunidade internacional e a ONU a fornecer “apoio concreto ao povo palestino além meras promessas. ”

Ele também questionou o papel e a missão da ONU, dizendo que ela não implementa suas próprias resoluções contra Israel. “Como as colinas de Golan e os assentamentos da Cisjordânia podem ser tomados, assim como outros territórios palestinos ocupados, diante dos olhos do mundo, se eles não estão dentro das fronteiras desse estado? ”, ele perguntou retoricamente. “O objetivo da iniciativa apresentada como ‘Acordo do Século’ é eliminar a presença do estado e do povo da Palestina?”, questionou em referência ao plano sensacionalista do presidente dos EUA, Donald Trump, para resolver a questão .

Ele então advertiu sua audiência dizendo: “Todos os atores da comunidade internacional, em particular as Nações Unidas, devem fornecer apoio concreto ao povo palestino além de meras promessas”.

 

Fonte: Middle East Monitor

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.