Quinta Feira, 18 Julho 2024

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Política Agressiva

Forças de ocupação israelenses matam Mohammad Shaham a sangue frio usando silenciador em frente aos olhos da família

"Cometemos um erro na casa", disse um dos soldados de ocupação israelenses simplesmente justificando à mãe de Mohammad Ibrahim Shaham, 21 anos, a execução de seu filho a sangue frio diante dos olhos de sua família.

Às 3h30 da manhã, Ibrahim Shaham acordou assustado com as batidas assustadoras na porta de seu apartamento no terceiro andar de um prédio em Kufr Aqab, um bairro palestino ao norte de Jerusalém Oriental ocupada, localizado atrás da separação e do muro do apartheid.

 

Segundos depois, a porta foi explodida. Soldados invadiram seu apartamento e atiraram em seu filho, Mohammad, que estava de pé ao seu lado, atingindo-o na cabeça.

 

"Mohammad deve ter pensado que os ladrões estavam tentando invadir a casa, então ele pulou de sua cama em direção à porta, e assim que chegou lá, os soldados explodiram-na e imediatamente dispararam tiros de uma arma com um silenciador em direção à sua cabeça", disse a mãe de Shaham.

 

"Eu gritei para os soldados, e um deles me disse que tinham chegado à casa errada e também atiraram por engano, apesar de terem explodido a porta da casa e matado imediatamente Mohammad sem aviso e sem mesmo verificar sua identidade", acrescentou ela.

 

"Eu tentei ajudar Mohammad, e agarrei suas mãos". Ele olhou para mim e sorriu, e fez um leve gemido. Então os soldados me empurraram para longe e me impediram de ficar ao lado dele. Eles nos levaram para o apartamento ao lado", disse a mãe.

 

Ibrahim Shaham, pai de Mohammad, disse: "Chamei o nome de meu filho várias vezes, depois desci para vê-lo antes que os soldados me atacassem e à minha família. Eles nos amarraram e depois nos levaram para o apartamento de nosso vizinho".

 

Ele disse que uma bala atingiu a cabeça de Mohammad do ponto em branco, enquanto outras três balas atingiram as paredes do apartamento. "Se eu não tivesse me abrigado com meu filho Sanad atrás da porta, as balas teriam nos atingido", disse ele.

 

Os soldados levantaram os pés de Mohammad na pia localizada à esquerda da entrada do apartamento e ele permaneceu nesta posição, sangrando por 40 minutos, disse Ibrahim Shaham. "Eu o vi morrer e não pude contar isso a minha esposa", disse ele, refutando as alegações da mídia israelense de que Mohammad tentou esfaquear um dos soldados, enfatizando que ele foi baleado assim que os soldados explodiram a porta.

 

A família foi mantida no apartamento do vizinho por mais de 40 minutos. Ela não pôde saber o estado de seu filho, que ficou sangrando durante esse período, enquanto seu pai apelou para uma ambulância na mídia social, pois ele foi mantido no apartamento do vizinho.

 

Após estes minutos muito longos, Ibrahim viu os soldados saindo do apartamento levando Maomé com eles, coberto com um pedaço de pano e sangrando por todas as escadas.

 

"A espinha dorsal de nossa casa desapareceu", disse Ibrahim falando com um coração partido sobre seu filho, Mohammad. "Ele era o pilar de nossa casa sobre o qual nos apoiamos". Ele contava com ele para o trabalho enquanto trabalhava na construção civil em Jerusalém".

 

Mohammad, que era diplomado em manutenção de ar condicionado e refrigeração pelo Instituto Qalandia, é irmão de cinco irmãos, três dos quais são cegos: Sanad, 23, Ahmad, 20, e Rimas, 12.

 

Há cinco meses, no dia 15 de março, seu primo, Alaa Shaham, também foi morto durante confrontos com soldados israelenses no campo de refugiados de Qalandia, nas proximidades.

 

Desde o início deste ano, 131 civis foram mortos por tiros do exército israelense na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, incluindo 46 mortos durante a última agressão na Faixa de Gaza.

 

Fonte: https://daysofpalestine.ps/israeli-occupation-forces-kill-mohammad-shaham-in-cold-blood-using-silencer-in-front-of-familys-eyes/



  • Gravatar - Post by
    postado por: Days of Palestine
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2024 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.