Quarta Feira, 05 Agosto 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Política Agressiva

Hanan Ashrawi: "Israel explora a situação criada pelo coronavirus para acelerar a anexação de fato do território palestino"

Hanan Ashrawi, membro do Comité Executivo da OLP, denunciou o aproveitamento pelas autoridades israelitas do isolamento da Cisjordânia devido ao surto de coronavirus para acelerar a anexação de território palestino ocupado ao mesmo tempo que protege os ataques de colonos contra civis palestinos indefesos.

«Enquanto a comunidade internacional procura cooperar no combate à propagação do vírus Covid 19, Israel está a explorar a situação para acelerar a anexação de facto de terras palestinas, fornecendo protecção e cobertura aos colonos israelitas armados nos seus ataques terroristas contra comunidades palestinas indefesas por toda a Cisjordânia ocupada», disse Ashrawi numa declaração à imprensa divulgada pela agência noticiosa WAFA.

«Como parte dos seus planos para concretizar o infame projecto do colonato E1, Israel anunciou ainda a construção de uma nova estrada do apartheid perto do colonato ilegal de Maale Adumim, apesar dos alertas internacionais de que este projecto irá anexar grandes áreas em volta de Jerusalém ocupada e destruirá a contiguidade territorial da Palestina».

Enquanto isto, acrescentou Ashrawi, «os colonos israelitas aumentaram acentuadamente os seus ataques terroristas em toda a Cisjordânia ocupada sob a protecção das forças de ocupação israelitas.»

Ela deu o exemplo do Monte al-Orma, perto da cidade de Beita, no norte da Cisjordânia, um lugar histórico que Israel pretende anexar ao colonato ilegal de Itamar e que jovens palestinos defendem dos assaltos de colonos protegidos pelo exército. Na passada quarta-feira, o exército israelita atacou os jovens com balas de borracha, gases lacrimogénios e fogo real, tendo matado um jovem de 15 anos e causado ferimentos em dezenas de outros.

«Mais recentemente, colonos israelitas invadiram repetidamente o Monte Al-Orma, perto de Nablus, numa tentativa de tomar posse da área com a participação ativa do exército israelita. Os palestinos de Beita-Nablus têm enfrentado repetidas agressões com coragem e determinação, apesar do grande custo e sofrimento que suportaram. A última vítima desta escalada é Mohammed Hamayel, de 15 anos, que foi baleado e morto por fogo vivo israelita. Além disso, foram relatados dezenas de feridos e casos de asfixia, causados pelo exército israelita e por ataques de colonos.»

Além disso, acrescentou aquela dirigente da OLP, «a área isolada de Belém, que é o epicentro do surto da Covid 19 na Palestina e está sob rigorosas medidas de quarentena, tem sido alvo de assaltos de colonos israelitas que arrancaram pelo menos 1200 oliveiras e videiras como parte de seu contínuo terrorismo ambiental. Ao mesmo tempo, o exército israelita intensificou a expansão do grande colonato de Gush Etzion para completar o cerco e isolamento de Jerusalém ocupada.»

O colonato de Gush Etzion envolve a maior parte de Jerusalém Oriental e aloja cerca de 75 000 colonos, mas o ministro da habitação de Israel espera aumentar a sua população para 500 000 em 2026.

Ashrawi concluiu sua declaração dizendo que enquanto o mundo está preocupado em combater a perigosa propagação do vírus letal, «não se deve ignorar a tóxica campanha israelita que procura destruir o estado palestino e as oportunidades de paz.»

Foto: Ataque do exército israelita contra os defensores do Monte al-Orma em 11 de Março de 2020

 

Fonte: Movimento pelos Dieritos do Povo Palestino e pela Paz no Médio Oriente MPPM

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.