Domingo, 14 Agosto 2022

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Documentos internacionais e decisões legais

Igreja Presbiteriana declara que o tratamento de Israel aos palestinos constitui apartheid

A Igreja Presbiteriana declarou decisivamente que o tratamento de Israel ao povo palestino constitui apartheid.

Os comissários da 225ª Assembleia Geral da Igreja Presbiteriana votaram decisivamente a favor da resolução, chamada abertura em linguagem denominacional, INT-02 “Sobre o reconhecimento de que as leis, políticas e práticas de Israel constituem o apartheid contra o povo palestino”, com 266 votos afirmativos (70 por cento) e 116 votos negativos (30 por cento).

 

Sob a resolução, o Presbitério “reconhece que as leis, políticas e práticas do governo de Israel em relação ao povo palestino cumprem a definição legal internacional de apartheid”.

 

“Apartheid é legalmente definido como atos desumanos cometidos com o propósito de estabelecer e manter a dominação de um grupo racial de pessoas sobre qualquer outro grupo racial de pessoas e oprimi-los sistematicamente. Isso ocorre em Israel/Palestina por meio de: estabelecimento de dois conjuntos de leis, um para israelenses e outro para palestinos, que dão tratamento preferencial aos judeus israelenses e tratamento opressivo aos palestinos; expropriar a terra e a água palestinas para assentamentos exclusivamente judaicos; negar o direito à liberdade de residência aos palestinos; dividindo a população em linhas raciais pela criação de reservas e guetos separados para os palestinos e negando aos palestinos o direito a uma nacionalidade”, dizia o texto da resolução.

 

A resolução “insta os membros, congregações, presbitérios e unidades nacionais de funcionários, incluindo o Escritório de Relações Inter-religiosas, a buscar maneiras apropriadas de acabar com o apartheid israelense”.

 

Quanto ao propósito da resolução, ela é “perseguida com a esperança de que levará a uma reconciliação pacífica para o povo de Israel e da Palestina semelhante à que ocorreu na África do Sul quando o apartheid foi reconhecido internacionalmente”.

 

Os cristãos se manifestaram na década de 1950 contra a segregação nos Estados Unidos e mais tarde contra o apartheid na África do Sul. Eles devem novamente levantar suas vozes e condenar a discriminação de Israel contra os palestinos e dar um nome ao crime contra a humanidade que essa discriminação representa, o crime de apartheid.

 

A Igreja Presbiteriana dos EUA disse que não foi a primeira a nomear as práticas de Israel como constituindo o apartheid, lembrando que entre aqueles que as nomearam como tal estavam o arcebispo Desmond Tutu, laureado com o Prêmio Nobel da Paz, a Coalizão Nacional Cristã de Organizações Cristãs na Palestina (NCCOP), além de líderes judeus e israelenses.

https://daysofpalestine.ps/presbyterian-church-declares-israels-treatment-of-palestinians-constitute-apartheid/

  • Gravatar - Post by
    postado por: Days of Palestine
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2022 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.