Sexta Feira, 07 Agosto 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Política Agressiva

Liberdade de expressão na Palestina está sendo suprimida diz carta ao Guardião

A liberdade de expressão na Palestina está sendo suprimida em nome de uma definição controversa de anti-semitismo, afirmação dada por cerca de duas dúzias de signatários em uma carta publicada pelo Guardião

A carta destaca a recente decisão do conselho de Tower Hamlets em Londres, de impedir que um passeio de bicicleta para arrecadação de fundos use o espaço em um de seus parques.

Foi posteriormente revelado que as autoridades se recusaram a sediar o evento de caridade para o Big Ride for Palestine por causa de "temores de que suas críticas a Israel possam violar as diretrizes anti-semitismo".

Na carta, os signatários apontam para os e-mails publicados sob uma solicitação de liberdade de informação, mostrando que “o conselho temia que essa defesa da Palestina violasse a definição de antisemitismo da Aliança Internacional de Recordação do Holocausto”.

“Esse uso da definição da IHRA demonstra a real ameaça à liberdade de expressão que ela representa, ignorando sua proteção em nossa legislação de direitos nacionais”, afirma a carta.

"Grupos palestinos, eminentes advogados, especialistas acadêmicos em anti-semitismo, proeminentes judeus britânicos e órgãos como o Instituto de Relações Raciais anteriormente levantaram essas preocupações publicamente", continua.

“Os direitos de todos os cidadãos britânicos de descrever, informar e transmitir com exatidão a realidade da expropriação palestina em andamento, e de exigir ações para resistir a essas ilegalidades, pertencem ao espaço público. Todos os órgãos públicos têm a obrigação de proteger e defender esses direitos, manter a democracia ”.

A carta conclui descrevendo a decisão da autoridade local como uma demonstração dramática “de que a liberdade de expressão na Palestina neste país está sendo suprimida”.

“É exatamente isso que nós e muitos outros repetidamente advertimos. Este perigoso silenciamento agora em andamento deve parar ”, conclui.

Os signatários incluem o Presidente da Campanha de Solidariedade da Palestina e o Diretor Professor Kamel Hawwash e Ben Jamal, respectivamente, Salma Karmi Ayyoub Barrister e membro do Conselho Britânico de Política Palestina, Geoffrey Bindman QC, assim como muitos outros acadêmicos, defensores dos direitos humanos e advogados.

 

Fonte: Middle East Monitor

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.