Terça Feira, 04 Agosto 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Documentos internacionais e decisões legais

Mais de 320 figuras públicas da América Latina, incluindo ex-líderes, pedem sanções contra Israel

Mais de 320 figuras públicas da América Latina, incluindo ex-líderes, assinaram uma declaração pedindo a imposição de sanções contra Israel em resposta ao seu plano de anexar partes do território palestino ocupado e por suas práticas de apartheid, de acordo com o Movimento contra o boicote palestino, desinvestimentos e sanções (BDS).

Entre os signatários destacados estavam os presidentes Dilma Rousseff (Brasil), Lula da Silva (Brasil), Evo Morales (Bolívia), Ernesto Samper (Colômbia), Rafael Correa (Equador), José Mujica (Uruguai) e Fernando Lugo (Paraguai), além dos cantores brasileiros Chico Buarque e Caetano Veloso, e do argentino Adolfo Pérez Esquivel, ganhador do Prêmio Nobel da Paz.

O Comitê Nacional da BDS disse em seu site que a declaração fazia parte de uma iniciativa sul-africana para unificar o apoio do Sul Global da África, Ásia e América Latina à sociedade civil palestina, pedindo sanções em resposta à anexação formal planejada por Israel.

A declaração também pede a reativação do Comitê Especial da ONU contra o Apartheid, último funcional durante a era do apartheid na África do Sul, com o objetivo de pôr um fim às políticas de apartheid de Israel que visam o povo palestino.

O ex-ministro das Relações Exteriores e Defesa do Brasil, Celso Amorim, signatário da declaração, disse: "A proposta de anexação do território palestino por Israel não é apenas uma ofensa ao direito internacional e uma ameaça à paz, é um ataque contra mulheres e homens que lutaram contra o colonialismo e o apartheid. A voz do sul deve ser ouvida! "

Em uma iniciativa relacionada, acrescentou o Comitê Nacional da BDS, a Sociedade Civil Sul-Africana em Solidariedade com a Palestina realizará um comício on-line neste sábado, 4 de julho, com Noura Erakat, advogada e professora palestina de direitos humanos; Co-fundador da BDS, Omar Barghouti; MP do ANC Mandla Mandela, neto de Nelson Mandela; Rajmohan Gandhi, neto de Mahatma Gandhi; O ativista sul-africano Phakamile Hlubi Majola; Celso Amorim, ex-ministro de Relações Exteriores e Defesa do Brasil; Karol Cariola, vice chilena; e outros.

Em junho, signatários sul-africanos, incluindo figuras proeminentes, endossaram a mesma declaração. Os signatários incluíam o ex-presidente sul-africano Kgalema Motlanthe; o ex-ministro de Moçambique, Oscar Monteiro; o ex-Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay; Secretário Geral da Federação Sindical da África do Sul, Zwelinzima Vavi; Vice-secretária geral do ANC Jessie Duarte; Ministro do Ensino Superior e Secretário do Partido Comunista da África do Sul, Blade Nzimande; Secretário Geral da União Nacional dos Metalúrgicos da África do Sul Irvin Jim; e ex-Comissário da Comissão de Direitos Humanos da SA Pregs Govender.

 

Fonte: Agência Wafa

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.