Sábado, 08 Agosto 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Política Agressiva

Muhammad Hassan, o primeiro prisioneiro nas prisões de "Israel" infectado com o Coronavírus

O Gabinete de Informação dos Prisioneiros anunciou hoje, sexta-feira, que o estudante da Universidade Birzeit e ativista do bloco islâmico, o prisioneiro Muhammad Majid Hassan (21 anos), de Ramallah, foi infectado com o Coronavírus dentro da prisão israelense de Al-Maskubiya.

Segundo o Gabinete de Informação dos Prisioneiros, a administração prisional removeu o estudante Hassan e aqueles que o misturaram com ele dentro da prisão, depois que foi diagnosticado com esse vírus.

O estudante Hassan, secretário do Comitê de Finanças do Conselho Estudantil da Universidade de Birzeit, foi preso na quarta-feira depois que soldados israelenses invadiram a casa de sua família na cidade de Deir Sudan, norte de Ramallah, como parte de uma campanha voltada para estudantes do bloco islâmico, e incluiu seu coordenador na Universidade de Birzeit, Abdel Rahman Mesbah.

Vale ressaltar que o prisioneiro Mohammed é irmão da prisioneira Shatha Hassan, que está detido na prisão de Damoun, e ela é uma estudante em Birzeit. Seu pai é líder do movimento Hamas na Cisjordânia e ficou detido por vários anos nas prisões de ocupação.

A notícia sobre o estudante Hassan, infectado com o Coronavírus coincide com a memória de seu tio, Amjad, morto em 1989, quando era estudante na Universidade de Hebron.

 

Por sua vez, o bloco islâmico da Universidade Birzeit responsabilizou a ocupação israelense pela segurança do estudante, Muhammad Hassan, exigindo que ele recebesse atendimento médico completo e sua libertação imediata.

Em um comunicado de imprensa divulgado, o bloco exigiu, em resposta à confirmação do estudante Muhammad Hassan, que o Coronavírus estivesse infectado no centro de detenção Al-Maskoubiyya, que todos os órgãos legais e associações de direitos humanos a intervir urgentemente para fornecer proteção e assistência médica ao estudante Muhammad e a todos os prisioneiros palestinos nas prisões criminais sionistas.

Também clamou à administração da Universidade Birzeit a estimulação dos direitos humanos e da mídia, a se comunicar com todas as associações e organismos internacionais preocupados com os direitos e a defesa dos estudantes, e a procurar exercer toda a pressão possível sobre a ocupação e forçá-la a fornecer os cuidados médicos necessários ao estudante Muhammad e a libertá-lo o mais rápido possível.

O bloco concluiu sua declaração dizendo: "O que aconteceu com nosso colega e irmão por sua exposição à infecção e o que esse assunto poderia representar sobre ele toca os sinos de perigo para nossos prisioneiros nas prisões de ocupação, o que exige uma postura nacional e popular séria e a escalada da pressão sobre a ocupação até a libertação de todos eles".

Por sua parte, o líder do movimento Hamas, Majed Hassan, e o pai do estudante prisioneiro da Universidade Birzeit, Muhammad, alertou que a ocupação negligenciou o caso de seu filho detido, depois que foi confirmado como infectado pelo Coronavírus.

O líder Hassan que é prisioneiro libertado, apelou a Organização da Cruz Vermelha e várias organizações de direitos humanos, e a Autoridade para Assuntos de Prisioneiros, a prestarem atenção à causa de seu filho "Muhammad", acrescentando: "Estamos cientes da criminalização da ocupação e de seu aprofundamento da política de negligência médica contra detidos e prisioneiros".

Ressaltou que a ocupação transferiu seu filho "Muhammad" para o isolamento da prisão de Ramle, depois de realizar um exame de Corona por ele e o aparecimento de resultados "positivos", o que significa que ele estava infectado com Coronavírus, de acordo com o que o advogado da Al-Dameer Foundation os informou após uma ligação com a administração do centro de detenção de Al-Maskoubia e o que também confirmou à Direção de Saúde de Ramallah com base em informações do link palestino.

 

Por IBRASPAL com informações do Centro de Informações Palestino.

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.