Segunda Feira, 16 Setembro 2019

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Documentos internacionais e decisões legais

Não é anti-semita odiar judeus de Israel, diz o ex-prefeito de Londres

"O simples fato é que a elite fará tudo para impedir que Jeremy entre no governo".

Ken Livingstone, ex-prefeito de Londres, foi criticado por dizer que "não é anti-semita odiar judeus" que deslocaram os palestinos e criaram Israel em sua terra natal.

Livingstone, que foi suspenso pelo Partido Trabalhista em 2016 por dizer que Hitler apoiava o sionismo e depois deixou o partido dois anos depois, disse na semana passada uma reunião de apoiadores de Jeremy Corbyn que as acusações de anti-semitismo no Partido Trabalhista só começaram quando Corbyn se tornou líder do partido em 2015, relatou o Daily Mail.

Foi quando Corbyn assumiu o cargo de líder do partido, Livingstone disse que "Blairites velhos medonhos" começaram a "fazer todo o possível para se livrar dele", e foi isso que alimentou todo esse material sobre o anti-semitismo.

Segundo o Mail, Livingstone disse: "O simples fato é que a elite fará tudo para impedir que Jeremy entre no governo".

Livingstone estava falando em uma reunião do grupo "Trabalho contra a caça às bruxas", que afirma que os esforços para erradicar o anti-semitismo no partido são uma "caça às bruxas" que visa derrubar Corbyn.

O ex-prefeito demitiu-se do Partido Trabalhista em maio de 2018, dizendo que uma briga por alegações de anti-semitismo contra ele havia se tornado uma distração para a liderança do partido. Ele foi suspenso do partido depois de dizer em abril de 2016 que Hitler havia apoiado o sionismo. 

Em uma entrevista à BBC Radio, Livingstone foi convidado a comentar as observações feitas pelo parlamentar trabalhista Naz Shah pedindo para "realocar" Israel nos Estados Unidos.

"É completamente exagerado, mas não é anti-semita", disse ele. "Vamos lembrar que quando Hitler venceu sua eleição em 1932, sua política era a de que os judeus fossem transferidos para Israel. Ele estava apoiando o sionismo - isso antes de enlouquecer, e acabou matando seis milhões de judeus.

"O simples fato de tudo isso é que Naz fez esses comentários no momento em que houve outro ataque brutal de Israel aos palestinos".

Livingstone afirmou então que "havia uma campanha bem orquestrada pelo lobby de Israel para difamar qualquer um que criticasse a política israelense como anti-semita".

 

Fonte: Palestine Post 24

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2019 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.