Sábado, 05 Dezembro 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Terrorismo Israelense

O partido sionista do Likud apresenta dois projetos de lei para anexar a Cisjordânia e executar prisioneiros palestinos

O partido Likud de direita, liderado pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, apresentou dois projetos de lei para anexar grandes partes da Cisjordânia ocupada e impor a pena de morte aos prisioneiros palestinos acusados de matar israelenses.

O jornal Israel Today disse na quarta-feira que o chefe do partido Likud no Knesset, Mickey Zohar, enviou os dois projetos ao Knesset.

Acrescentou que o objetivo do "Likud" desta etapa é "embaraçar" o partido "branco-azul", liderado por Benny Gantz, e o partido "Israel Nosso Lar", liderado por Avigdor Lieberman na véspera de falar sobre a possibilidade de Gantz formar um governo estreito, com o apoio da lista conjunta, uma aliança de partidos árabes no Knesset.

A esse respeito, ela indicou que o partido Azul e Branco disse durante a campanha eleitoral que apoia a anexação do Vale do Jordão, norte do Mar Morto e outras partes da Cisjordânia. Afirmou que o partido "Israel Nosso Lar" havia iniciado um projeto para impor a pena de morte aos prisioneiros palestinos acusados de matar israelenses.

A esse respeito, citou Zohar dizendo: "Vamos ver essa maravilhosa cooperação entre a lista conjunta e “Israel é o nosso lar”, e “azul e branco”. Vamos ver como aqueles que se opõem ao estado de Israel como um estado judeu e democrático e os membros de azul e branco e Lieberman trabalham juntos. Vamos vê-los se opor a essa legislação para agradar seus novos amigos da lista? Compartilhado? ”

Zohar acrescentou: "A relação entre Azul e Branco, e Lieberman, baseia-se em um único interesse que está afetando Netanyahu, e o interesse da lista conjunta (árabe) é prejudicar o Estado de Israel. Quando colocarmos essas leis, veremos se estão dispostos a continuar prejudicando o estado e seus interesses, e se oporão à legislação para justificar a parceria” com a lista compartilhada.

Vale ressaltar que os projetos geralmente passam por várias comissões antes de serem aprovados, votando em três leituras na Assembleia Geral do Knesset.

Na segunda-feira passada, Gantz recebeu a carta do mandato para formar o novo governo do presidente Reuven Rivlin.

Gantz tem 28 dias para estender, com a aprovação do presidente de Israel, por mais 14 dias, para formar o governo antes de designar outro deputado para formar o governo, se falhar.

No domingo, 61 membros do Knesset israelense, incluindo deputados árabes, recomendaram que o presidente israelense nomeie Gantz para formar um governo, após sua superioridade sobre Netanyahu, que recebeu 58 recomendações dos 120 parlamentares.

 

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.