Domingo, 20 Outubro 2019

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Documentos internacionais e decisões legais

ONG denuncia existência de colônia onde Israel demoliu propriedades palestinas

Dois caminhões para uso residencial e um cercado cercam o recente assentamento judeu estabelecido na mesma colina ocupada da Cisjordânia, onde Israel demoliu um restaurante e a casa de uma família palestina no final de agosto, denuncia a ONG israelense Shalom Ajshav (Peace Now).

A colônia que a entidade define como "posto avançado" (erguido sem autorização prévia do governo de Israel), fica muito perto do local onde os dois prédios palestinos foram demolidos, no município de Beit Yala, perto de Belém, cujas terras reivindicavam uma subsidiária do Fundo Nacional Judaico (KKL-FNJ).

"No início de setembro, os colonos estabeleceram um novo posto avançado" nessas parcelas, "há apenas 70 metros" das estruturas demolidas, lamenta a entidade.

Esse acordo é o vigésimo quinto desse tipo que se eleva no território ocupado da Cisjordânia desde que o presidente Donald Trump assumiu o poder dos Estados Unidos no final de 2016, observa a entidade, o que garante que sua política "em relação a Israel tenha desempenhado um papel importante na proliferação " de colônias.

Segundo Paz Now, a existência de colonos há poucos metros de distância de uma casa destruída pela pressão" do KKL-FNJ mostra que essa organização "não se importava com a construção ilegal na terra que estava reivindicando", mas "não queria palestinos" "

A Casia, a família palestina afetada, que comprou a terra antes de 1960, solicitou subsequentemente licenças de construção para a Administração Civil, o corpo militar israelense que administra a Área C da Cisjordânia, mas foram negadas porque a subsidiária Himanuta da KKL -FNJ reivindicou sua propriedade com um documento de 1969.

No entanto, a família alega que ele nunca vendeu a terra e fará uma queixa exigindo a expulsão dos colonos, que segundo Paz Now, dizem que alugaram a terra para Himanuta.

A ocupação dos territórios palestinos, em vigor desde a Guerra dos Seis Dias de 1967, foi condenada em repetidas resoluções internacionais.

Para a comunidade internacional, as colônias judaicas em território ocupado não têm base legal e constituem uma violação do direito internacional e um obstáculo a uma paz justa e duradoura.

 

Fonte: Agência EFE

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2019 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.