Sábado, 16 Outubro 2021

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Documentos internacionais e decisões legais

ONGs israelenses e palestinas pedem à Suprema Corte de Israel que ordene a vacinação de palestinos sob ocupação

“Israel tem uma responsabilidade legal, moral e humanitária, bem como um imperativo epidemiológico urgente”, explicou um comunicado da Physicians for Human Rights (PHRI), uma das organizações israelenses signatárias.

Seis organizações não governamentais (ONGs) israelenses e palestinas pediram hoje à Suprema Corte de Israel que ordene a vacinação de palestinos residentes em Gaza e na Cisjordânia, que têm doses suficientes para inocular menos de 1,5% de sua população.

 

“Israel tem uma responsabilidade legal, moral e humanitária, bem como um imperativo epidemiológico urgente”, explicou um comunicado da Physicians for Human Rights (PHRI), uma das organizações israelenses signatárias.

 

Além de exigir o fornecimento regular de vacinas aos territórios palestinos, as ONGs também pediram a "transferência imediata" do excesso de doses que Israel possui.

 

Diante da rápida campanha de vacinação israelense, que hoje ultrapassa 50% de sua população inoculada com ambas as doses, e a lenta imunização em Gaza e na Cisjordânia, a petição denuncia que a falta de colaboração israelense com os palestinos "viola tanto a lei israelense quanto o internacional, bem como a ética médica, a moralidade e a humanidade pura. "

 

O pedido dessas organizações se junta a outras anteriores semelhantes, tanto local quanto internacionalmente, incluindo a do enviado da ONU ao Oriente Médio, Tor Wennesland.

 

Este pedido também coincide com um dos momentos mais críticos da pandemia na Cisjordânia, que na semana passada registrou um novo máximo de infecções e taxas positivas em torno de 25%.

 

A campanha de vacinação neste território, com cerca de três milhões de habitantes, começou apenas esta semana e já atingiu 13.500 pessoas. Em Gaza, onde residem cerca de dois milhões, o número de inoculados é próximo a 16.000.

 

No total, os territórios palestinos receberam cerca de 134.000 doses. 60 mil deles vieram por meio do mecanismo COVAX gratuito da Organização Mundial da Saúde (OMS), enquanto o restante foi doado pelos Emirados Árabes Unidos, Rússia e Israel.

 

Por outro lado, Israel iniciou uma campanha de vacinação há duas semanas para os palestinos que vivem na Cisjordânia e têm autorização para trabalhar em seu território e nas colônias judaicas, um processo que já atingiu mais de 100.000 pessoas e deve chegar a 120.000.

 

Fonte: Swiss Info

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2021 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.