Quarta Feira, 27 Outubro 2021

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Terrorismo Israelense

Os noivos, Shaima e Anas ... um amor que foi assassinado pelos aviões terroristas israelenses

Com os últimos dias do mês do Ramadã, o clima de alegria na casa da família Al-Yazji era regozijante com a alegria de seu filho Anas (25 anos), que estava programado para se casar com sua noiva Shaima Abu al -Auf (20 anos) poucos dias após o fim do Eid al-Fitr, mas o depoimento estava mais próximo. A sua noiva médica dos preparativos de alegria que estavam em seus retoques finais.

Dois anos e meio

Com sentimentos contraditórios, o jovem palestino Anas Al-Yazji narrou como estava sentindo a euforia da alegria ao distribuir cartões e convites de alegria para seus amigos e vizinhos alguns dias antes do final do mês do Ramadã, mas esse sonho foi o que a ocupação queria que ele alcançasse. A morte da alegria do noivo ainda está engatinhando, como acontece com a maioria dos jovens palestinos.

Há dois anos e meio, o jovem Al-Yazji esperou que sua noiva concluísse os estudos universitários na especialidade de odontologia. Sentiu-se por um momento em que estava próximo dela, mas não sabia que cada momento os aproximava à separação, e ele estava se preparando para sua transferência para o ninho conjugal que ele totalmente equipou após anos de dificuldades e cansaço.

 

A foto do noivo da Shaima perto da geladeira dos mortos

 

última chamada

Desde os primeiros dias da agressão na Faixa de Gaza, o jovem Anas tem estado em contato constante com sua noiva, trocando sentimentos de preocupação um pelo outro e recomendando-se mutuamente cautela e confiança em Deus, apesar de sentirem que eles estão longe de ser o alvo dos guerreiros sionistas, a agressão atual não foi dispersada por forças A ocupação é entre um cidadão e outro, e entre uma criança, homem, mulher ou velha, então tudo foi considerado um alvo permissível para aviões de guerra.

Na noite de 16 de maio, a Rua Al Wahda estava em um encontro com um massacre horrível contra famílias inteiras, os aviões de guerra atacaram suas casas sem aviso, destruindo mais de quatro casas. Isso levou ao surgimento de famílias inteiras, incluindo a família Abu Al-Auf, na qual não menos de cem pessoas vivem no prédio.

Momentos antes de atacar o prédio residencial no meio da rua Al-Wahda na cidade de Gaza, Anas estava conversando com sua noiva no aplicativo WhatsApp, contando a ela sobre seu estado e garantindo que ele e sua família estavam bem, e ela trocou o mesmo sentimento com ele, mas o que Anas não achava era que essa última garantia sobre sua noiva. Poucos instantes depois do início do bombardeio, que abalou todas as casas da Cidade de Gaza, Anas correu para entrar em contato com sua noiva para perguntar sobre sua condição e seus assuntos, depois que se espalhou a notícia de almejar casas residenciais na Rua Al-Wehda.

No entanto, ele nunca recebeu uma resposta e assim permaneceu até a primeira hora do nascer do sol no dia seguinte, após confirmar que havia ocorrido um massacre contra a família de sua noiva. A busca não a encontrou e ele esperou por horas procurando, na esperança de encontrá-la viva, mas isso não aconteceu até que os homens de resgate e defesa civil a tiraram dos escombros e ela foi martirizada, terminando um sonho há muito esperado por anos em um momento de agressão brutal dos guerreiros sionistas.

Shaima, junto com mais de dez membros de sua família, ganhou destaque, enquanto outros ainda estão sob os escombros, e as autoridades competentes continuam a procurá-la, em um crime sionista que atingiu sua praça de residência, que levou ao momento para a elevação de mais de 44 mártires e mártires.

No oitavo dia de agressão na Faixa de Gaza, mais de 200 mártires, mais da metade deles crianças e mulheres, foram assassinados, enquanto o número de feridos aumentou para mais de mil.

 

 

Fonte: The Palestinian Information Center

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2021 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.