Sábado, 08 Agosto 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Terrorismo Israelense

O terrorista judeu colonizador que queimou a família palestina Dawabsha em 2015 foi liberado

Foi um entre centenas de macabros ataques terroristas de colonos judeus preparados pelas autoridades israelenses como uma força paramilitar para dizimar a população palestina na Cisjordânia-RO, causar terror e manter suas casas para judaizar a Palestina ocupada.

O grupo de extrema direita Juventud de la Cima ', liderado pelo terrorista judeu de 26 anos Meir Ettinger, na manhã de 31 de julho de 2015, entrou na vila de Duma, perto da cidade de Nablus, em La RO e depois de pintar grafites com lendas hebraicas: "Viva o messias", vingue-se dos árabes "," preço a pagar "e estrelas de David em frente à humilde casa da família palestina Dawabsha enquanto dormiam, eles explodiram com 2 bombas de fogo Molotov.

As chamas imediatamente envolveram a casa e a família, queimando vivo o bebê Ali Saad, de 18 meses, que morreu instantaneamente. Seu irmão de 4 anos de idade, Ahmad, sofreu ferimentos graves, assim como seu pai de 32 anos, Saad e sua mãe Rahan.

Infelizmente, após semanas de agonia, os pais morreram como resultado de suas queimaduras, enquanto seu filho mais velho, Ahmad, de 4 anos, conseguiu sobreviver aos ferimentos e sufocamentos, embora suas cicatrizes e a memória de ver sua família queimada viva permanecem pelo resto da vida.

O serviço de inteligência interno israelense Shin Bet prendeu três dos autores. O líder do grupo, Meir Ettinger, 26, Evyatar Slonim, 22, e Mordechai Mayer, 18. Esses dois últimos terroristas foram libertados em janeiro de 2016.

A turbulência mundial causada pelo massacre apressou a hipocrisia sionista. O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, o principal assediador desses crimes contra a humanidade, foi visitar o pequeno Ahmad, hospitalizado no Centro Médico Israel Chaim Sheba, em Tel Hashomer, em Tel Aviv. Enquanto isso, o ministro da Defesa, Moshe Yaalon, disse: "É um ato terrorista que nada tem a ver com os valores de Israel".

A cisma sionista foi exposta. Ontem (12/7), um tribunal israelense em Lod libertou o líder terrorista Ettinger, por ser o "ideólogo e não o autor" e o transferiu para prisão domiciliar. O massacre israelense da família palestina ficou impune e livre de culpados.

 

Fonte: Informações Palestinas Pós-PIP

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.