Segunda Feira, 24 Fevereiro 2020

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Documentos internacionais e decisões legais

Posição do Kuwait envergonha àqueles que estão traindo a Palestina

Não é incomum que o Kuwait tenha uma posição sobre o acordo de Trump do século que está a milhas de distância dos outros membros da Liga Árabe. A posição do Kuwait é clara e honrosa, conforme expresso pelo Presidente da Assembléia Nacional do Kuwait, Marzouq Al-Ghanim, durante a reunião de emergência da União Interparlamentar Árabe para apoiar a causa palestina.

Al-Ghanim disse que o acordo pertence ao caixote do lixo da história e logo jogou o documento fora. Quanto aos bilhões de dólares que Trump ofereceu ao povo palestino para vender sua causa e sua terra natal, Al-Ghanim ofereceu ao presidente dos EUA mais dinheiro para os ocupantes israelenses deixarem a terra da Palestina e voltarem de onde vieram, fazendo é um negócio real do século.

A resposta do Kuwait foi caracterizada por sabedoria e inteligência, porque o governo Trump quer acabar com a questão palestina como um acordo comercial; dinheiro para uma pátria em contradição à história de um povo. Portanto, o Kuwait ofereceu várias vezes mais dinheiro para os ocupantes saírem e manterem os palestinos em sua própria terra. Ao fazer isso, o único cartão na mão Trump-Kushner-Netanyahu é removido, pois tudo o que eles podem falar é sobre dinheiro. Seu "acordo" inclui paz econômica, prosperidade, projetos, instalações e outras ferramentas relativamente insignificantes que não têm lugar na batalha em curso para expulsar o ocupante israelense da terra da Palestina e libertar os locais religiosos islâmicos.

Os Emirados iludiram Jared Kushner e seu Presidente que a questão palestina poderia ser resolvida se dinheiro suficiente fosse investido nela. Eles pensaram que esse seria o caso, depois de conseguir enganar alguns palestinos e comprar casas deles antes de vender as propriedades para grupos de colonos israelenses. No entanto, esse engano foi exposto e não há mais palestinos que se atrevam a vender sua casa a um estrangeiro, especialmente se eles são dos Emirados Árabes Unidos, pois agora se sabe que eles são intermediários de organizações sionistas que trabalham para desapropriar terras palestinas por meios indiretos.

A Palestina não está à venda, nem para ser usada como moeda de troca. O que a OLP concedeu foi um erro e não representa a posição do povo palestino. Esse erro deve ser corrigido com a retirada do reconhecimento da legitimidade do estado de ocupação e dos Acordos de Oslo.

Não aceitaremos o acordo do século, nem 11% ou 22% da histórica Palestina. Agradecemos ao Kuwait, seu Emir, governo e povo por seu apoio político contínuo aos palestinos e sua causa, bem como pelo incentivo a insistir no direito dos palestinos a cada centímetro de sua terra ocupada.

 

Este artigo apareceu pela primeira vez em árabe em Felesteen em 8 de fevereiro de 2020, Por Dr Issam Shawer

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2020 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.