Quarta Feira, 17 Julho 2019

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Documentos internacionais e decisões legais

Segundo a ONU, 29 palestinos morreram em dois dias de combates em Gaza

A ONU disse hoje que os 29 palestinos mortos, e mais de duzentos feridos em dois dias, foram de ataques com foguetes e atentados; entre militantes de Gaza e o exército israelense

O Coordenador da ONU Humanitária para os territórios palestinos ocupados Jamie McGoldrick confirmou aos jornalistas, após uma apresentação das necessidades mais urgentes da população palestina para várias missões diplomáticas na sede das Nações Unidas em Genebra Europeia.

 

Até agora, o número oficial de mortes no lado palestino, como resultado da escalada de violência no fim de semana eram de vinte e cinco.

 

McGoldrick confirmou que em Israel havia quatro mortos e cerca de duzentos feridos.

 

Uma possível interrupção do suprimento de alimentos, e a situação crítica dos hospitais concentram as preocupações da ONU com relação a Gaza.

 

Desde o início das chamadas "Marchas de Retorno", que são repetidas a cada sexta-feira desde treze meses atrás em Gaza, 29.000 palestinos foram feridos e destes, 7.000 foram alvo de disparos israelenses.

 

Dessas vítimas, os hospitais estão atualmente enfrentando a impossibilidade de realizar tratamentos; por falta de suprimentos, equipamentos e cirurgiões - 1.700 casos de feridos que exigem cirurgias complexas para andar novamente, disse McGoldrick.

 

Até agora, 120 dos feridos, incluindo 20 crianças - tiveram um membro amputado.

 

A ONU pediu aos países doadores 20 milhões de dólares para devolver aos hospitais uma capacidade mínima de atenção, mas o financiamento é escasso neste ano em particular.

 

Dos 350 milhões de dólares solicitados no início do ano pela organização internacional para financiar suas atividades em Gaza e na Cisjordânia, recebeu apenas 14%.

 

Coordenador Humanitário disse que a situação financeira do Programa Alimentar Mundial e da agência da ONU para refugiados palestinos (UNWRA), que juntos eles fornecem a comida consumida por um milhão de palestinos em Gaza é alarmante.

 

Ambas as agências de ajuda precisam de 40 milhões de dólares em doações no começo de junho para poder dar ordens de compra de alimentos, para o segundo semestre do ano em Gaza.

 

"Se este for interrompido, não há alternativa, porque as pessoas não têm dinheiro. 54 por cento dos habitantes de Gaza estão desempregados, e essa proporção sobe para 70 por cento no caso dos jovens até os 30 anos. Além disso, cada família tem uma dívida média de 400 dólares ", disse McGoldrick.

 

Em meio a essa situação, Israel está colocando obstáculos as transferências de remessas para Gaza, e nega uma grande parte das permissões que os palestinos feridos precisam para receber cuidados médicos fora desse território.



Fonte: Agência EFE

Tradução: IBRASPAL

  • Gravatar - Post by
    postado por: IBRASPAL
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2019 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.