Sexta Feira, 21 Junho 2024

Linguagem Selecionada: PORTUGUÊS BR

Inicio > Posts > Documentos internacionais e decisões legais

WAFA compartilha informa sobre incitamento e racismo na mídia israelense

A Agência Palestina de Notícias e Informação "WAFA" compartilhou um relatório na segunda-feira, 15 de agosto, onde monitorou o incitamento e o racismo no dialeto da mídia israelense durante o período entre 7 e 13 de agosto.

Em seu 268º relatório, "Wafa" fornece documentação do discurso inflamatório e racista na mídia visual, escrita e áudio israelense, e algumas páginas sobre mídia social para figuras políticas e jurídicas da comunidade israelense.

 

No jornal Israel Hayom, o escritor Nadav Hatsani atacou o pagamento de salários da Autoridade Nacional Palestina às famílias dos mártires e dos feridos, e disse que a Autoridade Nacional paga dinheiro "àqueles que levantou sobre o terrorismo através de suas escolas e currículos".

 

O escritor diz: "Durante esses dias, Fatah repetiu mensagens a esses assassinos, tratando-os como heróis e modelos a seguir. A autoridade não impediu o salário daqueles que fazem terrorismo".

 

No mesmo jornal, Ariel Kahane escreveu um artigo no qual abordava a recente agressão à Faixa de Gaza e os cenários apresentados em Israel para lidar com a situação na Faixa de Gaza.

 

Atualmente, o governo de transição não tem uma discussão real sobre o futuro da Faixa de Gaza. Mesmo depois das eleições, se não for estabelecido um novo governo, a liderança política atual permanecerá e a questão será colocada à sua porta. O Primeiro Ministro Lapid e o Ministro Gantz demonstraram a capacidade de trabalhar juntos, e se forem libertados de um compromisso com Bennett, eles poderiam fazer as coisas avançar. Sem mencionar que Lapid é o único político em Israel, que elaborou um plano real para um assentamento em Gaza há um ano. Mas suas ideias foram consideradas desconectadas da realidade".

 

Ele continua: "Após as próximas eleições, quer ele atinja a maioria no Knesset ou permaneça no cargo pela força da inércia, Lapid terá uma oportunidade de avançar sua visão. O apoio da administração americana é garantido a ele a partir de agora, e quando olharmos para trás um ano, será possível ver que a teoria de Lapid é parcialmente aplicada a partir de agora.

 

Ele acrescentou que a ideia de Lapid se baseia em "entregar o domínio religioso e extremista israelense e internacional na Faixa de Gaza e dar incentivos econômicos para fortalecê-la, e a outra alternativa é uma ocupação militar".

 

Na rede social, o Ministro israelense Ayelet Shaked tuitou, "A soberania em Jerusalém pertence inteiramente ao povo judeu, e nenhum sabotador vai desafiar isto".

 

Em outro tweet, disse Shaked: "Em todo governo que for formado, não permitiremos o apoio à idéia de estabelecer um Estado palestino".

 

Quanto ao membro extremista do Knesset Itamar Ben Gvir, ele tweeted, pedindo que a pena de morte fosse aprovada no próximo Knesset. Ele disse: "Trabalharemos para promulgar a lei da pena de morte no próximo Knesset". Uma punição para o sabotador é a morte".

 

Fonte: https://daysofpalestine.ps/wafa-shares-a-report-covering-incitement-and-racism-in-israeli-media/



  • Gravatar - Post by
    postado por: Days of Palestine
  • postado em:
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Copyright © 2024 IBRASPAL - Instituto Brasil Palestina. All Rights Reserved.